Sessões

Temáticas

Tema 1 - GEOCIÊNCIAS PARA A SOCIEDADE

Coordenadores:

  • Augusto Mendonça (Banco Mundial)
  • Joana Sanchez (UFG)
  • Maria da Gloria Garcia (USP)
  • Romulo Simões Angélica (UFPA)
  • Welitom Rodrigues Borges (UnB)

O tema Geociências para a Sociedade discutirá a importância das geociências para a gestão de políticas públicas relacionadas a recursos geológicos renováveis e não renováveis, questões ambientais relacionadas ao uso e à gestão destes recursos e papel das geociências frente a questões ambientais globais. As áreas de geomedicina e de geociências forense também serão enfoque deste tema em função da ascensão destes campos junto à sociedade. Além disso, terão lugar discussões sobre o uso de materiais geológicos na história da humanidade.

Subtema 1- Geodiversidade, Patrimônio Geológico e Geoconservação

Como ramo emergente das Geociências, que trata do reconhecimento, da conservação e da promoção de elementos relevantes da geodiversidade, para esta e para as futuras gerações, esta sessão temática convida à discussão dos seguintes temas:

  • Geodiversidade: aplicações, valores e ameaças;
  • Geodiversidade, políticas públicas e questões ambientais globais;
  • Inventários e métodos de avaliação de sítios geológicos em escala local, regional, nacional e internacional;
  • Gestão e promoção do patrimônio geológico;
  • Estudos de caso: caracterização da geodiversidade de uma dada região;
  • Conceito e especificidade do patrimônio geológico como recurso natural não renovável;
  • Geoparques;
  • Geoturismo;
  • Patrimônio mineiro.

Subtema 2 – Patrimônio construído e cultural pétreo     
A pedra é um material de construção por excelência e sua utilização foi tão importante que nomeou os períodos da civilização humana. As Geociências têm muito a contribuir na preservação de monumentos e edifícios pétreos. Nesta seção são bem vindas as discussões abordando:

  • A pedra na arquitetura;
  • Pedreiras históricas;
  • Formas de degradação da pedra;
  • Técnicas analíticas aplicadas ao patrimônio pétreo;
  • Conservação de monumentos e edifícios históricos;
  • Geoturismo urbano.

Subtema 3 – Geociências Forense

A abordagem do tema de Geociências Forense na sessão de Geociências para a Sociedade pretende atrair pesquisadores e peritos interessados na divulgação de resultados de trabalhos que mostrem a contribuição das geociências para investigações forenses.

Dentro do tema preveem-se registros de trabalhos nos seguintes tópicos:

  • Aplicação de técnicas analíticas e espaciais para a resolução de crimes;
  • Micropaleontologia e palinologia forense;
  • Uso de sistemas GIS e drones para definição de crimes ambientais;
  • Geofísica forense;
  • Geologia de Engenharia aplicada na investigação de crimes ambientais;
  • Emprego de técnicas forenses em Geoarqueologia;
  • Desenvolvimento de áreas de testes para fins forenses.

Subtema 4 – Geomedicina

Na sessão de geomedicina preveem-se debates sobre a contribuição desta área na gestão de políticas públicas de saúde.

Neste subtema aguardam-se trabalhos em:

  • Poluição atmosférica e a saúde humana;
  • Doenças relacionadas à atividade mineral;
  • A composição da água e seus efeitos na saúde;
  • SIG em estudos de saúde humana.

Subtema 5 – Economia Mineral/ Minerais industriais/Gemologia

O conhecimento das características geológicas e dos bens minerais de uma região ou país é fundamental para formulação de políticas públicas que propiciem um desenvolvimento sustentável.

A sessão Geociências Para a Sociedade pretende discutir a importância do conhecimento geológico e da disponibilidade de recursos minerais para formulação de políticas públicas. Trabalhos técnicos abordando as experiências de regiões e municípios mineradores poderão ilustrar as diversas implicações econômicas e sociais da Geociências para a sociedade.

Temas como políticas de fomento – ou restrição – a produção mineral, formas de tributação, distribuição da arrecadação tributária, utilização das receitas da mineração, grupos afetados e regimes de concessão de bens minerais são temas de interesse para a sessão.

Em breve.

Tema 2 - HISTÓRIA E DIFUSÃO DAS GEOCIÊNCIAS

Coordenadores:

  • Anete Maria de Oliveira  (UnB)
  • Celso Dal Ré Carneiro (UNICAMP)

A Sessão Temática HISTÓRIA E DIFUSÃO DAS GEOCIÊNCIAS será uma oportunidade para se divulgar comunicações selecionadas sobre a temática da História, Divulgação e Ensino das Geociências. O Brasil é carente de profissionais capacitados para atuar em Ciências da Terra. Não obstante, nos últimos anos, expandiu-se aceleradamente a produção científica nacional no campo educacional, registrada em periódicos especializados e eventos nacionais e internacionais. Parte do imenso progresso registrou-se na cidade de Campinas (SP), em duas edições sucessivas do Simpósio Nacional de Ensino e História de Ciências da Terra, respectivamente o EnsinoGEO 2018 (julho) e EnsinoGEO 2019 (outubro). No ano de 2018 houve expressivo aporte de trabalhos nos eventos “VIII GeoSciEd 2018 – 8th International Conference on Geoscience Education” e no Simpósio de ENSINO E EDUCAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS, realizado em agosto de 2018, durante o 49º CBG, no Rio de Janeiro. Os eventos reuniram mais de 400 contribuições.
Os participantes da Sessão Temática sobre HISTÓRIA E DIFUSÃO DAS GEOCIÊNCIAS no 50º CBG são convidados a traduzir o estado-de-arte da história, educação e divulgação em Ciências da Terra no Brasil, oferecendo relatos, experimentos e contribuições originais. O cenário atual é permeado por questões éticas e desafios críticos de relacionamento da sociedade brasileira com a Terra, com a vida no planeta como a conhecemos, e com o meio ambiente. A sessão focalizará questões relacionadas à capacitação de geólogos e outros profissionais, em paralelo ao problema da formação docente e desdobramentos do trabalho de professores e professoras que encontram dificuldade para compreender os processos do Sistema Terra e transmitir conceitos a seus alunos e alunas tanto no momento atual, como ao longo do processo histórico brasileiro. Ações de difusão científica devem ser valorizadas, e contribuições a esse respeito serão igualmente bem-vindas, para que se construam novos canais de comunicação com a sociedade. A formação de cidadãos ativos, críticos e propositivos depende de uma base mínima de conhecimentos atualizados acerca de como o planeta funciona.
De diferentes maneiras, geólogos e demais profissionais das Ciências da Terra pleiteiam a inserção de conteúdos das Ciências da Terra na educação básica, uma possibilidade que foi aberta pela implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A difusão das Geociências na escola básica será um modo inteligente de atrair novos talentos para cursos de graduação em Geologia e ciências afins e, mais adiante, para programas de pós-graduação. O ciclo de formação de profissionais competentes só se completa com a formação de novos quadros de professores e especialistas. Temas que despertam interesse, como Geoética, Geopolítica, Geoconservação, Geopatrimônio, Geodivulgação, Geoturismo e Geologia Planetária competem com campos tradicionais de atuação. São campos que se imbricam e se conectam com “História e Difusão das Geociências”. Dados qualitativos e quantitativos são vitais para enfrentar a complexa demanda por água, metais, recursos energéticos, conservação de solos férteis, preservação ambiental e entendimento das mudanças climáticas. É urgente ampliar e aprofundar o ensino de informática, matemática, física e química, e as aplicações em mineralogia, petrologia, geofísica, geoquímica, exploração mineral, entre outras disciplinas, para que os futuros profissionais das Geociências enfrentem a crescente complexidade e sofisticação do mundo futuro.

Em breve.

Tema 3 - RISCO GEOLÓGICO, GEOLOGIA DE ENGENHARIA E GEOTECNIA

Coordenadores:

  • Adalberto Aurélio Azevedo (IPT)
  • Lazaro Valentin Zuquette (EESC/USP)
  • Sandra Fernandes da Silva (CPRM)

A Sessão Temática denominada de “Risco Geológico, Geologia de Engenharia e Geotecnia” do 50o Congresso Brasileiro de Geologia contemplara textos técnico-científicos relacionados aos seguintes temas: riscos geológicos e desastres naturais decorrentes de eventos perigosos de fontes naturais, antropogênicas, naturais-tecnológicas (NATEC) e quasi-naturais; as aplicações de aspectos da Geologia aplicados às obras de Barragens destinadas as diferentes finalidades, a Túneis, Obras Lineares, Portos, Aeroportos, etc., em especial ao desenvolvimento de métodos e procedimentos relacionados à avaliação de riscos relacionados a essas obras em seus aspectos práticos e científicos  a estudos que gerem informações que orientem o Planejamento territorial urbano e rural, assim como a proposição de intervenções em extensas áreas urbanizadas (Zonas metropolitanas), considerando todos os aspectos relacionados às potencialidades e fragilidades do meio físico. Acrescidos a estes, são bem-vindos estudos relativos a casos históricos e soluções de problemas relativos a temática da sessão.

Em breve.

Tema 4 - RECURSOS HÍDRICOS E GEOCIÊNCIAS AMBIENTAIS

Coordenadores:

  • Jérèmie Garnier (UnB)
  • José Eloi Guimarães Campos (UnB)
  • Maria Antonieta Mourão (CPRM)
  • Oscar de Moraes Cordeiro Netto (ANA/ UnB)
  • Ricardo César Aoki Hirata (USP)/CEPAS/ABAS

Em breve.

Em breve.

Tema 5 - PALEOAMBIENTE E MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Coordenadores:

  • Cristiano Mazur Chiessi (USP)
  • Martino Giorgioni (UnB)

A meta desta sessão é congregar a comunidade para a discussão, promover o debate e fomentar a difusão do conhecimento a respeito dos ambientes e das mudanças climáticas do passado geológico. Esses temas são de fundamental importância na construção de um planeta sustentável, pois permitem identificar os vários fatores que controlam os sistemas naturais e como esses respondem nas diferentes escalas de espaço e de tempo. Convidamos a comunidade a submeter trabalhos que abordem reconstituições paleoambientais e paleoclimáticas com base nos mais diversos arquivos geológicos (e.g., testemunhos sedimentares e de gelo, espeleotemas, corais, anéis de crescimento de árvores, afloramentos) bem como simulações numéricas. Ao não sugerir intervalos temporais específicos (e.g., Quaternário, Cenozoico, Pré-Cambriano) pretendemos provocar a discussão transversal que, esperamos, resulte em importantes insights a respeito dos ambientes e das mudanças climáticas do passado geológico que auxiliem na avaliação dos possíveis cenários futuros.

Em breve.

Tema 6 - CIÊNCIAS PLANETÁRIAS

Coordenadores:

  • Álvaro Penteado Crosta (UNICAMP)
  • Natália Hauser (UnB)
  • Wolf Uwe Reimold (UnB)

Em breve.

Tema 7 - GEODINÂMICA E ANATOMIA DOS SISTEMAS TECTÔNICOS

Coordenadores:

  • Eliza Inez Nunes Peixoto (UnB)
  • Fernando Flecha de Alkmim (UFOP)
  • Luis Gustavo Ferreira Viegas (UnB)
  • Renato Moraes (USP)

Esta sessão do 50º CBG será dedicada à abordagem de processos geodinâmicos e seus registros. Especificamente, nela serão tratados os grandes temas da orogênese e orógenos, do rifteamento e riftes, das transcorrências e seus grandes sistemas, bem como da natureza dos processos de localização da deformação ao longo da litosfera continental (incluíndo a interface crosta/manto). Muito bem-vindos serão trabalhos com abordagens multidisciplinares que explorem as relações entre processos tectônicos e estruturas deformacionais em todas as escalas, entre tectônica e sedimentação, entre tectônica e metamorfismo, bem como entre tectônica e morfogênese. Estarão igualmente incluídos nesta sessão estudos que versem sobre a estrutura e o comportamento reológico da litosfera.

Em breve.

Tema 8 - A TERRA PRIMITIVA: DO HADEANO AO NEOARQUEANO

Coordenadores:

  • Catarina Laboure Bemfica Toledo (UnB)
  • Elton Luiz Dantas (UnB)
  • Elson Paiva de Oliveira (UNICAMP)

O entendimento da evolução geodinâmica da Terra primitiva é um grande desafio para a comunidade científica. Os registros geológicos, geoquímicos e, geocronológicos têm demonstrado  mudanças importantes  nas condições atmosféricas e nos processos tectônicos desde o Hadeano, subsidiando a discussão a respeito do estilo tectônico da Terra primitiva, como era sua composição primordial e como se deu a transição para a tectônica recente, envolvendo subducção de crosta oceânica e a influência do manto profundo na evolução da atmosfera, hidrosfera e biosfera terrestre desde 4.0 Ga. Esta sessão do 500 Congresso Brasileiro de Geologia cobrirá os éons Hadeano e Arqueano e abordará os seguintes tópicos: processos tectônicos da Terra primitiva e seu papel na formação inicial dos continentes; o desenvolvimento dos oceanos, da atmosfera e biosfera; o magmatismo e a reconstrução paleogeográfica das sequencias vulcanossedimentares; e a transição Arqueano-Proterozoico..

Em breve.

Tema 9 - EVOLUÇÃO E DINÂMICA DO PALEO/MESOPROTEROZOICO

Coordenadores:

  • Farid Chemale Junior (Unisinos)
  • Reinhardt Adolfo Fuck (UnB)

A sessão sobre Evolução e Dinâmica do Paleo/Mesoproterozóico tem como proposta a discussão dos avanços do conhecimento sobre os processos de fragmentação, dispersão e aglutinação de paleoplacas, a geração de bacias sedimentares e vulcanossedimentares e a evolução dos níveis de oxigênio atmosférico e da vida durante as eras Paleoproteroica e Mesoproterozoica da Plataforma Sul-Americana. A apresentação de proposições sobre a utilização da denominação mais adequada para os eventos orogenéticos do Paleoproteozóico (ex.: Transamazônico, Riaciano) no escudo brasileiro, bem como estudos de correlação entre os crátons do São Francisco e Norte da China farão parte desta sessão.

Em breve.

Tema 10 - RODÍNIA AO GONDWANA

Coordenadores:

  • Antonio Carlos Pedrosa Soares (UFMG)
  • Carlos José Souza de Alvarenga (UnB)
  • Monica Heilbron (UERJ)

A dinâmica dos paleocontinentes pré-cambrianos, em particular Rodinia e Gondwana, reconfigurou grande parte do território hoje situado na América do Sul, apresentando exemplos de preenchimentos de bacias e processos geotectônicos que se vislumbram à luz da Tectônica de Placas atuante em tempos modernos, incluindo episódios de dispersão e amalgamação continental, assim como eventos de produção e consumo de assoalhos oceânicos precedidos por rifteamentos continentais, e sucedidos por orogenias de margens de placas e seus reflexos intracontinentais. Esta sessão do Congresso Brasileiro de Geologia pretende receber contribuições sobre tais temas, enfocando processos e produtos que permitem interpretar episódios de amalgamação e dispersão continental relacionados ao tempo de formação de Rodinia, sua fragmentação e posterior amalgamação do Gondwana, e massas continentais relacionadas, incluindo a formação de riftes e bacias de margem continental passiva, etapas de desenvolvimento e subducção de litosfera oceânica, com consequente geração de arcos magmáticos e bacias associadas, além dos múltiplos episódios colisionais a pós-colisionais que resultaram na intricada trama de orógenos brasilianos e seu papel na amalgamação do Gondwana Ocidental. Neste cenário, o desenvolvimento da vida e a dinâmica da reconfiguração paleocontinental suportada por dados paleomagnéticos são também importantes tópicos a serem abordados. 

Em breve.

Tema 11 - BACIAS DA MARGEM CONTINENTAL BRASILEIRA E AS CONTEMPORÂNEAS NO CONTINENTE

Coordenadores:

  • Mario Luis Assine (UNESP)
  • Nolan Maia Dehler (Petrobras)
  • Rodrigo Miloni Santucci (UnB)

A geologia das bacias da margem continental brasileira é multifacetada, resultado de complexa evolução geológica iniciada no Mesozoico. Os eventos geológicos que culminaram na fragmentação de Gondwana e abertura do Atlântico Sul originaram também bacias sedimentares e reconfiguraram o relevo no interior do continente. Tais bacias são de grande importância para a economia brasileira por serem portadoras de recursos minerais, hídricos e energéticos, em especial pelas imensas reservas de hidrocarbonetos. Esta seção temática tem por objetivo discutir diferentes aspectos da evolução das bacias marginais e interiores meso-cenozoicas, esperando-se contribuições sobre tectônica e sedimentação, estruturas e magmatismo, estratigrafia e sedimentologia, sistemas carbonáticos e siliciclásticos, proveniência e paleogeografia, petrologia e diagênese, bioestratigrafia e paleontologia.

Em breve.

Tema 12 - O PALEOZOICO NA AMÉRICA DO SUL

Coordenadores:

  • Carlos Emanoel de Souza Cruz (UnB)
  • Fresia Ricardi-Branco (UNICAMP)

Nessa sessão, convidamos os autores a submeterem seus trabalhos relacionados à Estratigrafia, Paleontologia, Sedimentologia, Geoquímica, Geologia Estrutural e Geotectônica, Magmatismo, Geofísica e Geologia do Petróleo dessa ímpar Era do tempo geológico. A Era Paleozoica se destaca pela grande diversidade de eventos acontecidos durante o seu transcurso que modificaram drasticamente a litosfera e biosfera. Entre elas profundas modificações globais no domínio da placa Sul-Americana com uma longa e complexa história evolutiva, onde foram acumuladas espessas seqüências sedimentares. A história da flutuação eustática registra diversos ciclos com centenas de metros de oscilações, grandes eventos de glaciação, eventos anóxicos globais, eventos orogênicos e pelo menos três grandes extinções, além de importantes eventos na vida como a colonização dos organismos ao meio seco e a evolução da vida associada. 

Em breve.

Tema 13 - EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DURANTE O CENOZOICO - CONCEITOS E APLICAÇÕES

Coordenadores:

  • Adriana Maria Coimbra Horbe (UnB)
  • Claudio Limeira Mello (UFRJ)
  • Suzan Waleska Pequeno Rodrigues (UnB)

Essa sessão temática tem como objetivo reunir estudos acerca dos processos e produtos geológicos ocorridos nas últimas dezenas de milhões de anos. Aborda as modificações da superfície da Terra durante o Cenozoico relacionadas a evolução dos diferentes ambientes, incluindo também os aspectos da ocupação e interferência humana na dinâmica ambiental. Busca-se a abordagem de conceitos e suas aplicações em relação à evolução da paisagem/geomorfologia; à geoquímica de ambientes superficiais; ao intemperismo e aos processos de lateritização; aos registros paleoclimáticos e paleoambientais; aos terrenos cársticos; aos conhecimentos da geologia e geomorfologia do Quaternário; aos processos e registros neotectônicos e morfotectônicos; e à interferência humana na construção ou modificação da paisagem (Antropoceno).

Em breve.

Tema 14 - GEOCIÊNCIAS MARINHA E OCEANOGRAFIA

Coordenadores:

  • Marco Ianniruberto (UnB)
  • Martino Giorgioni (UnB)

O sistema marinho e oceânico está na base de multíplices processos naturais e representa uma componente fundamental do planeta Terra, principalmente pelo equilíbrio climático do planeta. A capacidade de observação e monitoramento dos ambientes marinhos e oceânicos está em constante evolução, permitindo a apreciação da complexidade desses sistemas em diferentes escalas espaço-temporais. Entender as dinâmicas de funcionamento do sistema marinho e oceânico é essencial para avaliar a influência das atividades antrópicas sobre o planeta, aprimorar a modelagem dos possíveis cenários climáticos futuros e planejar estratégias de desenvolvimento de fontes sustentáveis de energia. O intuito dessa seção é recolher contribuições de trabalhos avançados sobre temáticas de geologia marinha e oceanografia, visando criar uma plataforma interdisciplinar de divulgação de conhecimento e de discussão entre cientistas e profissionais que atuam em diferentes áreas das geociências marinhas.

Em breve.

Tema 15 - SISTEMAS MINERAIS E EXPLORAÇÃO MINERAL

Coordenadores:

  • Adalene Moreira Silva (UnB)
  • César Fonseca Ferreira Filho (UnB)
  • Nilson Francisquini Botelho (UnB)
  • Roberto Perez Xavier (AdimB)
  • Rodrigo Martins (Companhia Vale)

Esta sessão tem como objetivo destacar os mais recentes avanços da ciência aplicada ao entendimento da formação e mapeamento de sistemas minerais, bem como a análise de prospectividade e fertilidade através de várias vertentes, onde destaca-se: 1) Geodinâmica de sistemas minerais através da utilização de dados geofísicos e/ou isotópicos; 2) Processos formadores de depósitos minerais; 3) Caracterização do footprint através de dados geofísicos, geoquímicos, petrofísicos e/ou de mapeamento mineral; 4) Integração de dados multifonte utilizando expert systems, machine learning ou inteligência artificial.

Em breve.

Tema 16 - SISTEMAS PETROLÍFEROS, EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE HIDROCARBONETOS

Coordenadores:

  • Carlos Jorge de Abreu (UnB)
  • Dermeval Aparecido do Carmo (UnB)
  • Frederico Miranda (ENEVA)
  • Sylvia Maria dos Anjos (Petrobras)

A exploração e produção de óleo e gás continuam sendo as principais atividades que atendem à demanda mundial por energia, inclusive à matriz energética do Brasil. Nesta sessão serão apresentados casos reais da indústria e pesquisa acadêmica sobre os elementos e processos dos sistemas petrolíferos, tanto os convencionais quanto os não convencionais. Refinamentos de pesquisas geoquímicas orgânica e isotópica dos reservatórios, rochas geradoras, rochas carreadoras e selos; casos de fronteiras exploratórias como as Bacias Paleozóicas brasileiras, os exuberantes e enigmáticos reservatórios carbonáticos do pré-sal, no Brasil e em bacias do exterior, bem como o status das atividades nas bacias maduras tanto onshore quanto offshore

Em breve.

Tema 17 - MAGMATISMO E PROCESSOS PETROGENÉTICOS

Coordenadores:

  • Fabio Braz Machado (Unifesp)
  • Federico Alberto Cuadro Jiménez (UnB)
  • Sérgio de Castro Valente (UFruralRJ)

A geração de magmas tem um papel central na evolução geoquímica do manto e da crosta ao longo do tempo geológico. Da mesma maneira, a geração dos magmas é, em grande parte, um resultado direto dos processos tectônicos atuantes no planeta, fazendo com que em muitos casos os magmas possuam características geoquímicas particulares dos diversos ambientes tectônicos em que eles são gerados, o que permite entender a geodinâmica do passado da Terra na base do reconhecimento das características das rochas que cristalizaram a partir dos diferentes tipos de magmas. O entendimento dos magmas e os processos que os geram também é essencial no estudo e predição das associações metalogenéticas que permitem gerar modelos acurados de pesquisa mineral, possibilitando assim a descoberta de novas jazidas.

Na sessão Magmatismos  e Processos Petrogenéticos do 50º Congresso Brasileiro de Geologia, espera-se contar com trabalhos desenvolvidos nos tópicos relacionados a granitos em diferentes ambientes tectônicos, complexos máficos-ultramáficos acamadados, complexos carbonatíticos, vulcanismo característico de diferentes ambientes tectônicos, conexões entre processos plutônicos e vulcânicos, aplicações de mineralogia e petrologia ígnea na caracterização petrogenética de magmas e influência de processos petrogenéticos na vocação metalogenética de províncias ígneas.

Em breve.

Tema 18 - SENSORIAMENTO REMOTO, GOESTATÍSTICA E MODELAGEM ESPACIAL

Coordenadores:

  • Carlos Roberto de Souza Filho (Unicamp)
  • Henrique Llacer Roig (UnB)
  • Julia Barbosa Curto Má (UnB)
  • Tati de Almeida (UnB)

Esta sessão terá como foco os recentes avanços nos campos do sensoriamento remoto, geoestatística e modelagem espacial, principalmente no que condiz à captura de dados multi-escala, incluindo medidas de campo e laboratório; técnicas e fluxo de processamento; desenvolvimento computacional; banco de dados; métodos de análise estatística e espacial; integração e interpretação; machine learning; e modelagem numérica. Incluem-se aplicações relacionadas à extração de informação geológica, a níveis cristalográfico, composicional e estrutural.  Trabalhos voltados ao avanço tecnológico em monitoramento ambiental também serão bem-vindos.       

Palavras-chave: Sensoriamento remoto aplicado à Geologia, sensoriamento remoto hiperespectral, espectroscopia, integração e análise de dados, banco de dados geológicos, modelagem numérica e espacial, machine mearning e deep learning.  

Em breve.

Tema 19 - GEOFÍSICA

Coordenadores:

  • Ellen Nazare Souza Gomes (UFPA)
  • Marcelo Peres Rocha (UnB)
  • Roberta Mary Vidotti (UnB)

A geofísica é uma ciência que se insere em diversas áreas da Geologia, seja como ferramenta fundamental ou auxiliar. A sessão temática Geofísica tem como objetivo atingir uma grande quantidade e diversidade de áreas da geofísica de forma a promover a interação e discussões de alto nível sobre os diversos temas, desde geofísica básica e em especial à geofísica aplicada.

Desta forma convidamos os colegas a apresentar trabalhos em todas as áreas da geofísica, desde estudos tectônicos, litosfera, crosta e manto, assim como bacias sedimentares, depósitos minerais, barragens, forense, hidrogeologia e ambiental. Trabalhos sobre modelagem e inversão de dados geofísicos, assim como técnicas de machine learning com dados geofísicos são bem-vindos.

Em função do recente crescimento da Sismologia devido aos investimentos e instalação da Rede Sismográfica Brasileira, incentivamos a submissão de trabalhos nesta área.

Em breve.