Mensagem da

comissão organizadora

O 50º Congresso Brasileiro de Geologia (50° CBG) será realizado de 11 a 15 de outubro de 2020, no Ulysses Centro de Convenções, em Brasília, com o tema “Geologia e Sociedade: Construindo pontes para um planeta sustentável”. O objetivo é integrar profissionais, academia, estudantes, empresas e sociedade, mediante a realização de palestras, sessões técnicas, incluindo posters, discussões, cursos e exposições.

Os congressos são tradicionalmente realizados de dois em dois anos pela Sociedade Brasileira de Geologia. Assim, o congresso de 2020 será organizado com vistas a avaliar novas descobertas e avanços recentes no conhecimento havidos na área, divulgando-os para a sociedade brasileira.

A 50ª edição do congresso se dará 50 anos depois do primeiro realizado na Capital Federal, em 1970. O congresso foi uma vitrine extremamente interessante do que então se conhecia da Geologia da Região Centro-Oeste, a partir dos trabalhos cartografia geológica desenvolvidos pelo DNPM na década de 1960, seja os realizados por seus geólogos, seja os de empresas contratadas, apresentados em trabalhos e mostrados em número significativo de excursões geológicas dirigidas aos aspectos geológicos mais interessantes da região, como os grandes complexos máfico-ultramáficos.

A eles somou-se a apresentação dos primeiros resultados dos trabalhos derivados das atividades do Curso de Geologia da Universidade de Brasília, inclusive os de mapeamento desenvolvidos nos trabalhos finais de seus alunos, como as recém descobertas intrusões alcalinas de Goiás. Na ocasião, o curso pioneiro do Centro-Oeste completava 6 anos e formava sua terceira turma de geólogos.

Hoje o quadro é bem diferente, com avanço significativo do conhecimento geológico, calcado na ampliação do esforço de cartografia geológica com suporte de extensos aerolevantamentos realizados pelo Serviço Geológico do Brasil – CPRM nas últimas décadas, no aprofundamento e sofisticação de análises e pesquisas conduzidas por diversas instituições, que resultaram, entre muitas outras, na descoberta do Arco Magmático de Goiás, demonstrando ser a Faixa Brasília uma das mais completas e preservadas faixas orogênicas neoproterozoicas do Brasil.

O universo do ensino, pesquisa e extensão se ampliou, juntando-se aos pioneiros novos núcleos de pesquisa e novos cursos de Geologia, Engenharia de Minas e outros em áreas afins nas universidades federais de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Goiás e em diversos institutos federais recentemente instalados na região. A eles se soma o Curso de Geofísica, criado há 10 anos na UnB. Há, portanto, muita coisa para mostrar e discutir, a que certamente serão adicionadas as informações e novidades alcançadas em anos recentes no restante do País.

O sucesso deste importante evento técnico-científico se dará com a participação de geólogos e geocientistas de todo Brasil, que tornarão a Capital Federal também a capital nacional da Geologia em 2020.

Sejam bem-vindos ao 50º Congresso Brasileiro de Geologia!